CQC e Band terão de pagar indenização a atriz pornô.

 Pamela Butt sentiu-se ofendida após participar do CQC

A atriz pornô Pamela Butt será indenizada em R$ 153 mil depois de ganhar na Justiça um processo que movia contra a Band e o programa CQC. Segundo informações publicadas nesta quinta-feira, 29, na coluna Outro Canal, da Folha de S. Paulo, a emissora terá de pagar R$ 102 mil, enquanto a produtora do CQC desembolsará R$ 51 mil.

 A atriz teria entrado com a ação judicial depois de ser chamada de “prostituta” por Marcelo Tas e de “puta” por Rafinha Bastos.

Ainda de acordo com a coluna, Tas teria dito no programa: "Eu vou convocar a presença de um padre e de uma prostituta. (...) Eu falei errado, vocês vão me desculpar. É um padre e uma atriz pornô”.

Em seguida, Rafinha Bastos teria ironizado: “A pessoa ganha dinheiro pra filmar. Não, não é puta, imagina, imagina...”.

A produtora argentina Eyeworks – Cuatro Cabezaz, reponsável pelo desenvolvimento do programa, argumentou no processo que "moralmente falando, tanto prostitutas quanto atrizes pornôs obtêm seus proventos por meio do mercado do sexo, o que justifica o equívoco". Ainda assim, o juiz não aceitou os argumentos e condenou a empresa e a emissora.

Veja também:


Fonte: A Tarde