As professoras mais safadas do mundo.


PAMELA ROGERS TURNER
Professora de educação física, Pamela foi condenada a nove meses de prisão por fazer sexo com um aluno de 13 anos.As relações ocorreram em uma sala de aula da escola Centertown,no Tennessee, na casa onde a professora morava com o marido e na residência do rapaz,
enquanto os pais dele dormiam. Pamela, que tinha 28 anos, ficou hospedada na casa do aluno na época em que teve "problemas conjugais"com Christopher Turner.


SANDRA BETH GEISEL
Aprofessora de inglês da Christian Brothers Academy,uma escola católica na cidade de Colônia, em Nova York, foi demitida depois de ser flagrada transando com um estudante de 17 anos. Durante as investigações,um aluno de 16 anos também disse que teve relações sexuais com a professora. Sandra aceitou um acordo e foi condenada a seis meses de prisão e dez anos de condicional.Os encontros teriam ocorrido em um campo de futebol americano da escola e na casa da professora.Sandra tem 42 anos e um de seus quatro filhos estudava na mesma escola católica.


SARAH BENCH-SALORIO
A professora de inglês da escola Santiago Charter foi acusada,em janeiro de 2005, de seduzir estudantes menores de 14 anos. Ela passou meses oferecendo jantares aos alunos, assediando os menores por e-mail ou telefone. Sarah, de 28 anos, teve um relacionamento de 16 meses com um garoto e um caso de quatro meses com outro. Ela era casada e tinha três filhos.


AMBER JENNINGS
Mãe de duas adolescentes, a professora de inglês do colégio Shepherd Hill Regional aceitou um acordo com a promotoria e foi condenada, em setembro de 2005, a dois anos de prisão em regime aberto e supervisionado. A pena da professora de 32 anos, que manteve relações sexuais com um aluno,poderia ter chegado a cinco anos de prisão.Ela foi condenada por mandar fotos e vídeos obscenos para o jovem de 16 anos.


DEBRA BEASLEY LAFAVE
Começou um caso com um garoto de 14 anos em uma excursão da escola Greco,em Temple Terrace, Flórida.Os dois transaram na sala de aula, na casa de Debra e no carro do primo de 15 anos do adolescente. Com 23 anos na época, ela era casada há menos de um ano com Kristian Owen. Enquanto esteve presa, um policial foi afastado do caso depois de tirar fotos da genitália de Debra. Em novembro de 2005, a professora disse ser culpada e foi condenada a três anos de prisão domiciliar e sete anos de condicional.