Vocês não sabem o que ela fez.

 
Foto 
Chris O Meara/AP
Debra Lafave, em foto de arquivo de 2005
(Foto: Chris O Meara/AP)
 
Uma ex-professora que cumpria pena de prisão domiciliar por ter mantido relações sexuais com um estudante de 14 anos foi presa na última terça-feira (4) por violar a condicional. Ela, através de seu advogado, se defendeu da acusação.

De acordo com o relatório do Departamento de Correções, Debra Lafave conversou sobre a sua vida pessoal e outros assuntos com uma garçonete adolescente em um restaurante onde trabalhavam.

Um dos termos de sua condicional era que ela não poderia manter contato com menores de idade sem supervisão se não tivesse permissão.

Lafave, de 26 anos, está cumprindo três anos de prisão domiciliar depois de ter se declarado culpada de ter mantido relações sexuais com um aluno na sala de aula e em sua casa em junho de 2004. Ela foi presa na manhã de terça-feira e libertada da cadeia com a condição de que se apresentasse ao tribunal. Uma audiência não foi agendada.
 
  Outro lado
O advogado de defesa, John Fitzgibbons, afirmou que estava desapontado que o oficial de condicional de Lafave que ordenou sua prisão. Ele definiu a violação de “insignificante”.

Foto: AP 
AP (Foto: AP)
Debra Lafave, em foto feita e liberada pela polícia americana
 
Fitzgibbons disse que Lafave e a menina de 17 anos estavam tendo uma “típica conversa de ambiente de trabalho que mulheres têm com outras colegas”.

“Era uma amizade de trabalho – nada mais nada menos que isso”, declarou ele. A porta-voz do gabinete do promotor, Pam Bondi, declarou que os procuradores não comentariam a prisão de Lafave até a audiência.

Os registros da condicional mostram que Lafave trabalhou num restaurante na área de Tampa até o mês passado, quando sua oficial de condicional ordenou que ela largasse o emprego. Ela agora trabalha como recepcionista na barbearia de sua mãe.

Fitzgibbons disse que ele e sua cliente ficaram surpresos com a prisão. “Eu não acho que ninguém tenha achado que isso seja uma coisa tão grave assim”, declarou ele.

Fonte: g1