Combustão humana espontânea

No dia 22 de dezembro de 2010, um senhor de 76 anos foi encontrado morto em sua residência, na Irlanda. O corpo de Michael Faherty estava carbonizado, e o homem morreu com a cabeça virada para a lareira.
O legista irlandês Ciaran McLoughlin afirmou em seu parecer que a causa do fogo que matou Faherty não foi incêndio. Ele constatou, também, que não havia indícios de incêndio criminoso: os danos ficaram restritos ao teto da sala de Faherty, exatamente acima do local onde o corpo da vítima foi encontrado. Nenhuma outra parte da casa foi atingida pelas chamas, mas o cadáver estava carbonizado.

O legista contou que este foi seu primeiro parecer de combustão humana espontânea em 25 anos de carreira. McLoughlin consultou livros sobre o assunto e fez pesquisas para esclarecer a causa da morte do idoso. Durante as leituras, descobriu que estes casos quase sempre ocorrem perto de uma lareira ou de uma chaminé.

“O incêndio foi totalmente investigado e minha conclusão é de que se encaixa na categoria de combustão humana espontânea, para o qual não há uma explicação adequada”, afirmou.